"NOSSA VISÃO: CONHECER A CRISTO CRUCIIFICADO E TORNÁ-LO CONHECIDO, EM TODO LUGAR, POR MEIO DA GRAÇA."

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

JOÃO BATISTA UM VASO QUE MARCOU SUA ÉPOCA


Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor, preparando-lhe os caminhos. Lucas 1:76.
Nas Escrituras, encontramos algumas pessoas, as quais podemos chamar de vasos que marcaram época porque Deus as levantou para mudar os tempos. Por exemplo, Deus usou Noé para mudar da era da consciência para a de governo. Deus usou Abraão para introduzir a era das promessas e Moisés para introduzir o período da Lei. Deus usou Samuel para findar a era dos Juízes e introduzir a dos reis. No Novo Testamento, é bem claro que João Batista foi um vaso que marcou sua época. Veja o que é dito em Marcos 1:1 Princípio do evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus.
Como começou o evangelho de Jesus Cristo, o Filho de Deus? Quem introduziu a era da graça? Foi João Batista. A Lei havia sido dada e os profetas profetizaram até João Batista. João foi uma pessoa usada pelo Senhor para concluir a Lei e os profetas e introduzir o Rei, o próprio Senhor Jesus. Lucas 16:16a. A Lei e os Profetas vigoraram até João; desde esse tempo, vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus.
A última voz ouvida no Antigo Testamento foi a voz de Malaquias, o profeta. Deus usou Malaquias para chamar o seu povo de volta a Ele. Mas, infelizmente, o povo não ouviu e, por quatrocentos anos, Deus permaneceu em silêncio. Embora suas vidas continuassem normalmente, não houve nenhuma voz do céu. De repente, após esses quatrocentos longos anos, Deus começou a falar. Havia uma voz clamando no deserto. Deus levantou João Batista e ele passou a pregar: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus. Mateus 3:2.
O reino dos céus proclamado por João Batista era um reino espiritual, porque o Rei estava vindo. Na verdade, Ele já se encontrava no meio deles. Quando esta mensagem foi divulgada, deixou eletrizada, imediatamente, a nação inteira, e as pessoas vinham ter com ele para serem batizadas. Por que as pessoas são batizadas? O que significa batismo? Batismo significa que morreram, foram sepultadas e da morte ressurgiram pela ressurreição para viverem vida nova ou novidade de vida. Romanos 6:4 Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.
Quando cremos no Senhor, significa que tudo no passado, tudo o que diz respeito a nós; quer consideremos bom ou mau, tem de passar pela morte e ser enterrado. Essa era a pregação de João Batista. O nome João significa “Deus é gracioso”. Este João foi levantado por Deus para trazer o povo ao reino dos céus, para prepará-los para receberem a salvação que estava vindo sobre a Terra. Para dar ao seu povo conhecimento da salvação, no redimi-lo dos seus pecados, para alumiar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz. Lucas 1:77,79.
O que nos chama a atenção em João Batista, é que ele nunca tentou atrair as pessoas para si próprio, pelo contrário, apontou sempre, para elas, Cristo. João Batista foi uma voz que veio e desapareceu, e estava regozijante por participar dessa forma. O que é uma voz? Uma voz é para ser ouvida, mas não para ser vista. Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías. João 1:23.
Embora João tenha sido um vaso de Deus que marcou a sua época, ele sabia exatamente quem era. Como ele se anulou, sabendo que não era nada mais do que uma voz, inferior a um escravo, e que era o amigo do Noivo! Ele se diminuiu para que Cristo crescesse. Lucas 3:16 Disse João a todos: Eu, na verdade, vos batizo com água, mas vem o que é mais poderoso do que eu, do qual não sou digno de desatar-lhe as correias das sandálias; ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.
Nos dias antigos, as pessoas não usavam sapatos como nós. Elas usavam sandálias, e era trabalho dos escravos desatar as correias das sandálias. João Batista, aquele grande profeta disse que não era “digno de desatar-lhe as correias das sandálias”. Em outras palavras, ele se considerava inferior a um escravo. Essa era a estimativa que João Batista fazia de si mesmo. Convém que ele cresça e que eu diminua. João 3:30.
Gostaria também de colocar um detalhe muito importante sobre João Batista. Ele veio no espírito e no poder de Elias. Quando Elias foi arrebatado, Eliseu disse que queria porção dobrada do seu espírito. Qual era o espírito de Elias? Por duas vezes Elias queixou-se diante de Deus, dizendo que havia sido muito zeloso pelo Deus dos exércitos. Em outras palavras, o espírito de Elias era um espirito zeloso pelo Senhor. Assim também era João Batista. Ele também veio no poder de Elias. O que significa o poder de Elias? O poder de Elias é a oração: Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos, e orou, com instância, para que não chovesse sobre a terra, e, por três anos e seis meses, não choveu. Tiago 5:17. Amém.

Assista os nossos estudos no YOUTUBE:




quarta-feira, 28 de novembro de 2018

É NECESSÁRIO TER VIDA NOVA


Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. João 3:7.
Essa é a maior necessidade de todo homem e de toda mulher que nasceu neste mundo: vida nova. Um dos maiores impedimentos para alguém alcançar a graça divina é a justiça própria. Como poderá alguém receber a graça que foi revelada em Cristo, sem antes reconhecer que é um miserável e indigno pecador? O Espírito Santo precisa nos levar a uma convicção de pecado, pois desta maneira podemos recorrer ao Senhor. Lucas 18:13. O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sê propício a mim, pecador!
A soberba no coração do homem é tão perversa quanto enganosa. A auto exaltação e a autocomiseração, uma e outra, procedem de um mesmo coração inchado de si mesmo. O egoísmo tem várias máscaras, umas evidentes, outras, porém, conseguem nos enganar. É a falsa humildade, a falsa espiritualidade, a falsa esmola, etc. De maneira velada, gostamos do reconhecimento daqueles que nos cercam. Por trás disto está uma satisfação demoníaca de prazer próprio. Tomás a Kempis disse: “Muitos, no que fazem, buscam secretamente a si mesmos, sem o saber”. Jesus Cristo veio a este mundo para tratar com o mal do homem, o seu próprio “eu”. Está escrito em 2 Coríntios 5:14-15. Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.
A operação da cruz exerce um poder de ação contínuo em nossa vida. Deus, por sua graça, quer que reflitamos o caráter de Cristo em nosso viver diário. O Senhor é especialista em ajeitar as circunstâncias que envolvem o nosso dia-a-dia para atingir o seu intento. Ele sabe como lidar com cada um de nós. As provações não são aleatórias, elas são encomendas enviadas a nós pelo próprio Pai. A fim de que ninguém se inquiete com estas tribulações. Porque vós mesmos sabeis que estamos designados para isto. 1Tessalonicenses 3:3.
As provações mostram, de maneira clara, o quanto vivemos pelos nossos próprios interesses e justiça. Toda expressão de mágoa, rancor, falta de perdão, sensibilidade mórbida, vitimismo; em realidade, denunciam abertamente a nossa egolatria. O esvaziamento na vida, do egoísmo, da vaidade, do orgulho, e de todas as ciladas do eu é tão custoso que poucos chegam a ser vasos de bênçãos, jarros de cristal, para refletir seu Mestre. Somente pela graça podemos ser livres de nós mesmos. Está escrito em Gálatas 2:20a. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim.
Temos uma tendência natural de protegermos todos os interesses do ego. Ficamos sempre em estado de alerta contra ataques ou insultos. Ao menor sinal de uma agressão, nos armamos com todas as nossas defesas. A vida de Cristo em nós nos livra de toda a autodefesa ou sensibilidade excessiva. Ele morreu e ressuscitou para ser a nossa vida. Não é de se admirar que cristianismo é uma substituição de vida. A nossa, egoísta, pela de Cristo, santa. Colossenses 3:4. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória.
O filho de Deus em Cristo tem um passado, mas ele é alegre porque o seu passado é algo que realmente passou. Uma característica daqueles que foram libertados de sua consciência dolorida e da escravidão do pecado é que eles não têm barreiras para falar a respeito de seu passado. Ninguém tem alegria em falar da escravidão se ainda estiver no cativeiro. Uma vez que conhecemos a graça de Deus, conhecemos também a alegria de ter nossos pecados perdoados. Está escrito nos Salmos 103:3 Ele é quem perdoa todas as tuas iniqüidades; quem sara todas as tuas enfermidades.
Cristo é suficiente para gerar em nossos corações a alegria de viver. Nele nós temos tudo o que a nossa alma almeja: perdão, purificação de pecados, salvação, paz, santificação, esperança, contentamento e alegria. Ele é a real causa de nossa satisfação. A nova criatura é alegre porque Cristo Jesus é alegre. Conhecê-lo é o nosso maior privilégio. Não há como andarmos com Ele e não exalarmos o seu bom perfume: Graças, porém, a Deus, que, em Cristo, sempre nos conduz em triunfo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar a fragrância do seu conhecimento. II Coríntios 2:14.
O novo nascido é alegre porque o seu alvo é estar conformado com o propósito de Deus. O caminho da cruz, longe de fazer-nos pessoas amargas e azedas, é o meio pelo qual uma nova criatura pode realmente expressar a sua alegria e contentamento. De que modo o mundo irá saber que Cristo habita em nós? Com certeza, as pessoas querem enxergar muito mais do que um discurso correto em nossos lábios, elas almejam ver o caráter de Cristo através de nosso testemunho de vida. Não há como estarmos no centro da vontade de Deus à parte deste bendito estilo de vida. Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo. Gálatas 6:14. Amém.

Assista os nossos estudos no YOUTUBE: