"NOSSA VISÃO: CONHECER A CRISTO CRUCIIFICADO E TORNÁ-LO CONHECIDO, EM TODO LUGAR, POR MEIO DA GRAÇA."

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

QUÃO MARAVILHOSO E DESEJÁVEL É O NOSSO SENHOR

Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz. Efésios 5:8.
Não há nenhuma recordação mais preciosa para o regenerado do que o Nome incomparável do Senhor Jesus Cristo. Não pode haver tema mais envolvente nem assunto mais glorioso do que a Pessoa de Cristo. Quando falamos da Pessoa de Cristo, nos sentimos tão inadequados, pois nossas mentes são tão limitadas e nosso vocabulário tão carente. Sua glória é absolutamente transcendente, Sua vastidão incompreensível, Sua grandeza insondável e Suas belezas indescritíveis. Salmos 45:2 Tu és o mais formoso dos filhos dos homens; nos teus lábios se extravasou a graça; por isso, Deus te abençoou para sempre.
Ele é o assunto de todas as Escrituras, a substância de todas as sombras e a história de todos os profetas. Suas glórias singulares, supremas e magistrais desferem raios eternos e imarcescíveis. Ficamos diante de um oceano, infinito em sua expansão, e ao considerá-lO não podemos senão dizer: “Sim, Ele é totalmente desejável”. Quão agradecidos devemos ser por ter um conhecimento pessoal Dele como Senhor e Salvador, e por podermos dizer, como está escrito em Cantares 5:16 O seu falar é muitíssimo doce; sim, ele é totalmente desejável. Tal é o meu amado, tal, o meu esposo, ó filhas de Jerusalém.
Que maravilha é que Ele nos tenha amado. Por isso é que devo dizer mais uma vez; descrever a beleza do ministério do Senhor é uma tarefa para a qual até mesmo a mente angélica seria inadequada. A maior bênção possível para todo nascido de novo, é ponderar profundamente naquela vida preciosa e ser assim transportado ao domínio da luz, para ali compartilhar, em parte, os pensamentos do Pai em relação ao Seu Filho. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. Mateus 3:17.
Ele desposa para Si mesmo, em misericórdia e em amável bondade, almas tão deformadas, imundas e totalmente sem valor como são as nossas. Não temos nenhuma beleza em nós mesmos, nenhuma bondade que nos faça desejáveis aos Seus olhos; todas as origens de Seu amor por nós estão em Seu próprio seio. Ele nos escolheu, não pelo o que nós éramos, mas para que Ele pudesse nos tornar amáveis. Ele veio a nós
quando nós estávamos em nosso sangue, e nos disse: “Vive”, e este foi o tempo do amor. Ele não espera nenhuma retribuição de nós, e ainda assim dá a Si mesmo, e tudo o que
Lhe pertence, para nós. Nossa pobreza não pode enriquecê-lO, mas Ele fez a si mesmo pobre para nos enriquecer.  Pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos. 2 Coríntios 8:9.
Nenhum marido ama a esposa de seu seio, como Cristo amou o Seu povo. Nenhum marido é assim um marido imortal e eterno como Cristo é; a morte separa todas as demais relações, mas a união da alma com Cristo não é dissolvida na sepultura. Certamente, o dia da morte de um cristão é o dia de seu casamento, o dia de seu mais pleno deleite em Cristo. Nenhum marido pode dizer para a sua esposa, o que Cristo diz para o regenerado: De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei: Hebreus 13:5b.
Nenhum casamento jamais foi consumado com tais procedimentos triunfais como será o casamento de Cristo e a Sua igreja no Céu. Nenhum noivo enriquece a sua noiva com tais honras pelo casamento, como Cristo o faz; Ele os torna aparentados a Deus, como seu Pai, e a partir daquele dia os poderosos e gloriosos anjos pensam não ser uma desonra serem seus servos. Os anjos admirarão a beleza e glória da esposa de Cristo. Então, veio um dos sete anjos que têm as sete taças cheias dos últimos sete flagelos e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro. Apocalipse 21:9.
O Espírito Santo Se alegrará em ver a conclusão e aperfeiçoamento do padrão de santificação o qual estava confiado em Suas mãos, ver que aquelas almas, as quais Ele uma vez encontrou como duras rochas, agora brilham como as resplandecentes pedras lavradas do templo espiritual. Os anjos se regozijarão: grande foi o júbilo quando o fundamento deste plano foi estabelecido, na encarnação de Cristo. Os próprios santos se alegrarão inefavelmente, quando eles entrarem no palácio do Rei, e estiverem para sempre com o Senhor, louvando-o perpetuamente. Salmos 84:4 Bem-aventurados os que habitam em tua casa; louvam-te perpetuamente.
Você deseja o Senhor? Então, eu imploro que vocês coloquem as suas almas neste desejável Jesus. Fora com este mundo vão e enganador, que não merece a milésima parte do amor que vocês o dão. Deixe tudo permanecer fora e dê preferência a Cristo. Queridos, se vocês apenas conhecessem o Seu valor e excelência, o que Ele é em Si mesmo, o que Ele fez por vocês, e merece de vocês, não precisariam de argumentos para persuadi-los a amá-lO! Agora, pois, ó Israel, que é que o SENHOR requer de ti? Não é que temas o SENHOR, teu Deus, e andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma. Deuteronômio 10:12.
Que o Espírito Santo venha, pelo trabalho da cruz, torná-lo semelhante a Cristo. Certamente, é somente o Espírito de Cristo com vocês, e a beleza de Cristo sobre vocês, que pode tornar-lhes pessoas amáveis. Quanto mais vocês parecerem com Ele em santidade, mais vocês expressarão a verdadeira excelência e amabilidade; e quanto mais frequente e espiritual são as suas comunicações e comunhão com Cristo, mais da beleza e amabilidade de Cristo será impressa em seu espírito, transformando-o em Sua imagem, de glória em glória. E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito. 2 Coríntios 3:18. Amém.



Assista os nossos estudos no YOUTUBE:

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

VENCENDO A TENTAÇÃO

Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. Mateus 26:41.
Quando uma pessoa nasce de novo segue-se certa euforia logo após a descoberta do que significa estar em Cristo. Entretanto, quando a tentação surge, desaparece a euforia, e com frequência o regenerado sucumbe. Torna-se confuso e fica imaginando como é que pode ser tentado, se Cristo mora dentro dele. Normalmente os que são tentados ficam imaginando algo como: “Se Cristo está em mim, como é que eu pude ser tentado daquele jeito? Como é possível eu abrigar os pensamentos que me sobrevêm?” Devemos entender que a tentação não é pecado. Jesus Cristo foi tentado em todas as coisas assim como nós. Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Hebreus 4:15.
Jesus, o Homem perfeito, impecável, conheceu a tentação em todas as áreas da vida, de todas as maneiras, como ocorre conosco. Tal compreensão nos convenceria, finalmente, que ser tentado não é pecado; entretanto, cristãos em número incontável se autocondenam porque sentem o chamado da tentação. A avaliação exata do que é a tentação nos livrará de estar em constante luta contra ela. O que é tentação? Tentação é apelo forte para que voltemos às trevas. É apelo à nossa humanidade, aos nossos apetites físicos, às reações normais de nossas emoções e racionalizações. Tiago nos demonstra passo a passo o processo da tentação: Cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Tiago 1:14.
A palavra “cobiça” em geral vem associada ao mal. Contudo, na realidade cobiça significa simplesmente “desejo ou paixão”, que são anseios normais para a nossa carne humana. A palavra “seduzir” sugere a ideia de “atrair com boa isca”, que é o vocabulário próprio de caçadores e pescadores. Significa, literalmente, “enganar mediante uma isca”. Uma vez que concebemos a cobiça, ela d´a luz o pecado que gerará a morte. Tiago 1:15 Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.
Quando utilizamos palavras como “seduzir” e “isca”, imediatamente pensamos em estímulos, excitação, em atração na direção de algo. O âmago da tentação é que nossos desejos humanos são atraídos fortemente na direção de algo existente no mundo. Tiago nos diz que isto não é pecado. Só se torna pecado quando o desejo concebe, ao passarmos da reação à decisão, a fim de perseguir com deliberação o que desejamos. Irmãos, tudo o que há no mundo se constitui um perigo para o filho de Deus. Tiago 4:4 Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.
Nós não recebemos corpo ressurreto quando Cristo vem morar em nós; continuamos a manter ainda todos os apetites físicos normais e comuns ao gênero humano. Ainda sentimos fome, sede, atração sexual, e sentimo-nos cansados após longo dia, exatamente como Jesus se sentia. Se viciamos nosso organismo com drogas ou com álcool antes de termos recebido a Cristo, não será incomum o corpo sofrer alguns retrocessos e enviar mensagens ao cérebro solicitando alívio para as tensões, como o fazia antes. Por isso as Escrituras nos exortam em Tito 3:3 Pois nós também, outrora, éramos néscios, desobedientes, desgarrados, escravos de toda sorte de paixões e prazeres.
Porém, existem muitos cristãos que usam máscaras em todas estas áreas, fingindo que não experimentam reações diante da vida. O fato é que tais cristãos estão entre os primeiros a desanimar-se espiritualmente, porque a pessoa não consegue viver na irrealidade. Quando uma pessoa deixa o Senhor, ela não tem mais prazer em se reunir como igreja, e para se justificar, ela cria uma série de argumentos contra os irmãos, contra a liderança e, se projeta como uma pessoa justa. Na realidade ela deixou-se levar pela tentação na qual ela está presa. Caíram na rede da tentação! Eclesiastes 9:12b. Como os peixes que se pescam com a rede maligna e como os passarinhos que se prendem com o laço, assim se enlaçam também os filhos dos homens no mau tempo, quando cai de repente sobre eles.
Todo aquele que morreu e ressuscitou com Cristo é um com o Senhor numa perfeita união. Estando unido a Cristo, lá no âmago de seu ser o filho de Deus já não deseja pecar; deseja andar na justiça. Os pecadores não são tentados! Ainda estão nas trevas de seu pai, o diabo. A tentação só ocorre nas pessoas que deixaram o mundo. Como se livre do mundo? Encontramos a resposta em Gálatas 6:14 Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo.
Quando vemos algumas folhas presas a um galho de árvore durante o inverno, sabemos que essas folhas já não constituem parte da árvore; morreram muitas semanas atrás. Mas na primavera a árvore disporá de tudo quanto não lhe pertence, e se revestirá de novas folhas, que são a expressão da nova vida. Colossenses 3:12 Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade.

Ninguém resiste à tentação mediante força de vontade. Mas nós resistimos e a vencemos ao nos voltarmos para Cristo, nossa vida interior. Cristo é reconhecidamente a resposta positiva aos desejos que foram estimulados de maneira negativa. A tentação é o meio pelo qual permitimos que Cristo viva poderosamente em nós. O filho de Deus jamais diz “não” à tentação, mas diz “sim” a Cristo. Amém.

Assista os estudos em áudio no YOUTUBE: