"NOSSA VISÃO: CONHECER A CRISTO CRUCIIFICADO E TORNÁ-LO CONHECIDO, EM TODO LUGAR, POR MEIO DA GRAÇA."

domingo, 9 de julho de 2017

A OFERTA DE CRISTO (Precioso)

Se a sua oferta for holocausto de gado, trará macho sem defeito; à porta da tenda da congregação o trará, para que o homem seja aceito perante o SENHOR. Levítico 1:3.
Foi depois que os filhos de Israel deixaram a terra do Egito, e se tornaram um povo separado para Deus, que este livro foi dado a eles. Eles tinham sido trazidos ao deserto para estar a sós com Deus, a fim de que Ele pudesse instruí-los nas coisas concernentes ao Seu culto e serviço. Aqueles dentre o povo de Deus que escolhem deixar-se ficar no mundo egípcio, e cujas vidas são vividas em conformidade com os seus caminhos, conhecem bem pouco, por experiência, da verdadeira comunhão e adoração. Somente aqueles que creram que foram crucificados com Cristo, mortos e ressurretos com Ele, são plenamente aceitos pelo Pai celeste. Efésios 1:6 para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado.
Todos os Tipos de ofertas no Antigo Testamento apontavam para o Antítipo no Novo Testamento que é Cristo. Muitos ainda não enxergam isso porque seus sentidos espirituais estão embotados pelos efeitos do mundanismo, que negligências e falhas não parecem tão abomináveis aos seus olhos a ponto de levá-los diariamente a buscar repouso para as suas almas, nas variadas excelências do sacrifício de Cristo. Quando olhamos para a oferta do Corpo de Cristo na cruz e nos identificamos com Ele, é certo que seremos aceito. Gênesis 4:7 Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.
Não pode haver comunhão, nem adoração genuína, até que o pecado tenha sido tratado e a consciência posta em repouso. Hebreus 9:14 muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!
No Tabernáculo, a vítima era investida da culpa do pecado do ofertante, e sua vida tomada em lugar da dele. Juntas, elas apontam para Jesus como Aquele que levou o pecado e a maldição; elas nos apresentam em tipo a Sua morte, que atendeu todas as exigências da Justiça Divina para o pecador. 2 Coríntios 5:21 Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus.
Através da Sua Única oferta Perfeita, os pecados de todos aqueles que Nele crêem são tirados de uma vez por todas para jamais serem lembrados novamente. A voz que nos fala desde o trono de Deus, em virtude da morte de Cristo como nossa oferta pelo pecado e pela culpa lá no altar do holocausto diz em Isaías 6:6-7 Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado.
Esta é geralmente a primeira coisa que incomoda o pecador, quando o Espírito de Deus começa a agir com ele. Ele se lembra dos pecados da sua vida passada, sabe que a justiça de Deus exige a sua punição e treme ao pensar em encontrar-se com o Santo Juiz. Mas irmãos, quão benditas são para o pecador atribulado e despertado, as novas de que Jesus foi a nossa oferta pela ofensa, que Ele “foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades”, e que, aquilo pelo qual não podíamos fazer restituição a Deus ou ao homem, porque não tínhamos com que pagar; nosso bendito Senhor, na Sua morte, fez plenamente. Quão doce foi o momento quando pela primeira vez avistamos o Cordeiro de Deus, e vimos “todas as ofensas” perdoadas. Colossenses 2:13 E, quando vós estáveis mortos nos pecados e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas.
Nossa percepção do pecado pode ser grande ou pequena, dependendo da medida de luz que temos e da sensibilidade da nossa consciência, mas, bendito seja o Deus que nos amou, que fez cair todos os nossos pecados sobre a grande oferta pelo pecado, e os levou embora para sempre. Sim, e mais: Deus condenou o pecado, deixando o homem de fora, encerrando a sua conta para sempre como filho de Adão, na Cruz. Pois foi na cruz que Ele pagou e apagou o nosso pecado conforme Isaías 43:25 Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim e dos teus pecados não me lembro.
Quão bem-aventurado é para a alma apegar-se a esta verdade preciosa: que Deus tem tratado com o pecado, e resolvido toda a questão relativa a ele, de uma vez por todas na Cruz, e que a eficácia permanente do sangue continua diante de Deus, preciosa para sempre. Hebreus 9:12 não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção.
Isso é maravilhoso para aqueles que tiveram seus olhos abertos e creram. Mas há muitos ao redor de nós cujo entendimento está tão cegado que eles espalham erro mortal e crêem que é a verdade; estão conduzindo homens para o lago de fogo, e ainda acreditam sinceramente que irão alcançar a Cidade de Deus. Mas, isso não se restringe aos pecadores não convertidos; há muitos dos professos filhos de Deus cegados. Eles brincaram com a luz que uma vez brilhou sobre eles, até que ela se tornou em trevas. Verdades uma vez conhecidas, mas não obedecidas lhes foram arrancadas. A Palavra de Deus é algo muito sério. Atente para a Palavra de Deus. Em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus. Estes sofrerão penalidade de eterna destruição, banidos da face do Senhor e da glória do seu poder. 2 Tessalonicenses 1:8-9. Pense nisso!

 Assista as ministrações em nosso canal no youtube


TIPO = FIGURA - ANTÍTIPO = REALIDADE

quarta-feira, 5 de julho de 2017

A PESSOA DE CRISTO NO TABERNÁCULO

A glória de Deus é encobrir as coisas, mas a glória dos reis é esquadrinhá-las. Provérbios 25:2.
Deus tem uma infinita sabedoria a respeito de todas as coisas. Isto não é diferente em relação ao Tabernáculo de Moisés, conforme revelado por Deus a Israel. Através da própria estrutura, mobília e material desse Tabernáculo, Deus, em Sua glória, se agradou em ocultar e encobrir verdades eternas. Assim, torna-se a glória dos cristãos, que são reis e sacerdotes para Deus e para Cristo descobrir essas gloriosas verdades.  Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. 1 Pedro 2:9.
Não há necessidade de permanecermos na ignorância com respeito às realidades espirituais ocultas nos símbolos externos, pois a própria Palavra de Deus as esclarece. O Tabernáculo foi onde Deus escolheu habitar, e ali Ele demonstrou de maneira simbólica toda a revelação e conhecimento de Si mesmo. Lembrando que o Tabernáculo tipifica o Senhor Jesus Cristo. Devemos lembrar também que o Tabernáculo de Moisés era simplesmente uma reprodução esboçada na terra do Santuário verdadeiro nos céus. Há um Santuário no céu. Há um Tabernáculo real, verdadeiro e espiritual. As Escrituras são explicitamente claras quanto a essa verdade. Apocalipse 15:5 Depois destas coisas, olhei, e abriu-se no céu o santuário do tabernáculo do Testemunho.
A Igreja do Novo Testamento é agora a morada de Deus, Sua habitação. Quando Arão exerceu seu ministério no Santo do Santuário terreno isso nada mais era do que a sombra do ministério de Cristo nosso grande Sumo Sacerdote no Santuário celestial. Hebreus 9:24 Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus.
O pleno propósito da expressão e interpretação da verdade espiritual, tal como encontrada nos tipos do Tabernáculo, é sua aplicação no coração e na vida do cristão, tanto individual quanto coletivamente. A verdade deve se tornar prática e experimental, ou permanecerá apenas como a letra da lei. Teoria sem vida é pregar doutrina sem experiência, e isto transmite morte para os que estão ouvindo. O Espírito é quem traz vida. O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida. João 6:63.
Embora o Tabernáculo e seus utensílios tenham perecido e cessado de existir, as verdades espirituais e realidades eternas tipificadas na habitação de Deus ainda permanecem, pois a verdade é eterna! Nós olhamos para o natural, para o material, para o que é temporal, para as coisas que se vêem, com o objetivo de descobrir, pelo Espírito, a verdade, que é espiritual e eterna; coisas que não são compreendidas pela mente natural do homem. 2 Coríntios 4:18 não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.
É por essas razões que devemos estudar a revelação de Deus no Tabernáculo de Moisés. No Antigo Testamento, Deus deu a Israel, seu povo, as letras do seu alfabeto. No Novo Testamento, a Igreja pode colocar essas letras juntas e elas formarão JESUS CRISTO, não importa como sejam ordenadas. Para esclarecer melhor o que estamos dizendo, vamos olhar rapidamente alguns exemplos de como Deus, em Sua sabedoria, usou coisas naturais do Antigo Testamento para revelar Cristo e a Igreja. 1 Coríntios 10:3-4. Todos eles comeram de um só manjar espiritual e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo.
O Tabernáculo e toda sua mobília, metais, cortinas, coberturas e cerimoniais tipificavam o Senhor Jesus Cristo e Seu ministério na Igreja. Deus quer tornar claro que Ele nos tem dado coisas visíveis da criação para nos ajudar a compreender as coisas espirituais, ou seja, as invisíveis. Assim, o Tabernáculo é repleto de tipos ilustrativos. Tipos, como já dissemos, são sombras, e sombras envolvem substâncias. Todos esses elementos são lições objetivas, símbolos materiais para expressar verdades espirituais. O Senhor Jesus Cristo é a substância de todas as sombras. Colossenses 2:17 porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo.
0 propósito da sombra é nos conduzir à substância, ou objeto que a projetou. Da mesma forma, o propósito da profecia é nos conduzir ao cumprimento dela. A lei foi à época das sombras, apontando para a verdadeira Luz. A sombra de um objeto não tem substância e nem realidade em si; apenas pode
apontar para a que a projetou. É preciso seguir as sombras até chegar à luz, para chegar à verdadeira substância, ou seja, a realidade. Caso alguém volte as costas para a luz, perde-se na sombra e se afasta cada vez mais da realidade. A única razão para estudar “a sombra da lei” é seguir através dela até chegar a Cristo, que é a realidade. Hebreus 9:11-12 Quando, porém, veio Cristo como sumo sacerdote dos bens já realizados, mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, quer dizer, não desta criação, não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção.

Deus sempre desejou habitar com e entre seu povo. Isto é revelado nos lugares de habitação no Antigo Testamento e consumado no Novo Testamento, onde a Palavra se fez carne e “habitou” entre nós. Era no Lugar Santíssimo que a própria presença de Deus, com sua glória manifesta, (shekinah) habitava. Era ali que Deus se comunicava com o homem, habitando no meio do povo de Israel, assim como hoje Cristo habita no meio de seu povo, a Igreja. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles. Mateus 18:20. Amém. 

Assista as ministrações em nosso canal no youtube

sábado, 1 de julho de 2017

CRESCENDO À MATURIDADE - TABERNÁCULO

E me farão um santuário, para que eu possa habitar no meio deles. Êxodo 25:8.
O estudo do Tabernáculo é mostrar nas sombras as realidades do Novo Testamento. O Tabernáculo armado no deserto era o lugar onde Deus resolveu manifestar Sua presença, onde Ele simbolicamente residia. O Tabernáculo, também conhecido como “tenda da congregação”, não é uma mera descrição de um santuário qualquer, sem um significado mais profundo. Então, quando Deus coloca a Sua morada entre os homens, vemos luz no meio das trevas. É Deus descendo do céu, porque o Seu desejo era de habitar entre os homens, não só nos dias do Israel antigo, mas também se aplica ao nosso tempo. Apocalipse 21:3 Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles.
A glória de Deus estava naquele lugar que conhecemos como o Santo dos Santos. No Santo dos Santos não tinha janela alguma, portanto, havia todo um princípio para que o sumo sacerdote pudesse chegar até lá. O Santo dos Santos era o caminho da adoração, caminho do crescimento espiritual, era esse avançar no conhecimento e na relação com Deus em Cristo Jesus. O caminho a ser percorrido para o Santo dos santos era em primeiro lugar a purificação no átrio, iluminação no santo lugar e união no Santo dos santos. O Tabernáculo de diversos ângulos ele tem tanto para nos ajudar e entender a nossa união com Cristo. Por isso no Novo Testamento a palavra Tabernáculo também significa a presença de Deus entre nós. João 1:14 E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.
Quando estudamos os móveis que havia no Tabernáculo; altar de bronze e pia de bronze no átrio exterior, candelabro, mesa de pães e altar de incenso no santo lugar e arca da aliança sozinha no Santo dos santos, verificaremos que os utensílios falam dos princípios de Deus. O Tabernáculo fala da presença de Deus, e toda mobília fala dos princípios de Deus, para que nós possamos ter uma relação adequada com Ele. O que nos chama nossa atenção é que o Tabernáculo não tinha um monte de portas. Não havia porta lateral e nem havia porta do fundo. Havia apenas uma única porta e essa porta era uma linda figura de Cristo. Como era essa porta? Êxodo 26:36 Farás também para a porta da tenda um reposteiro de estofo azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino retorcido, obra de bordador.
Na porta da tenda havia esses quatro elementos constituintes tecidos e trançados entre si. Imaginem uma área de 50 por 100 côvados com uma única porta trançada com esses quatro elementos. Obvio que o Senhor está nos falando de uma forma muito clara sobre Cristo. Na Nova Aliança podemos compreender que essa porta é o nosso Senhor Jesus Cristo. João 10:9 Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem.
Aqui João está nos dando à realidade espiritual daquilo que estava no Tabernáculo. Aliás, João vai nos ajudar a entendermos esse caminho da adoração, ou seja, purificação, iluminação e união. A primeira parte de João tem a ver com vida, purificação. A segunda parte do evangelho de João tem a ver com luz e a terceira parte tem a ver com união. Isso é para nos mostrar como nós podemos habitar plenamente em Deus através de Cristo Jesus. Nós habitamos Nele e Ele habita em nós, isso é verdade quando a Sua Palavra é algo real e experiencial em nós. Colossenses 3:16 Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.
Em nossa experiência espiritual com o Senhor nós não começamos pela arca da aliança, mas começamos pela porta. Estávamos do lado de fora e Deus estabeleceu o Tabernáculo e nós somos chamados para entrar nessa realidade e a primeira coisa que vemos é a porta. Leiamos em João 10:7 Jesus, pois, lhes afirmou de novo: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas.
Como já vimos anteriormente, essa porta era constituída de quatro tipos de tecido e cada um deles aponta para os quatro evangelhos, quatro cores e quatro aspectos: Púrpura era a cor real, então Mateus apresenta Jesus como o Rei. Carmesim era veste sacerdotais que fala do Servo. Em Marcos Jesus é apresentado como O Servo. Linho fino retorcido nos leva para Lucas quando o descreve como O Homem perfeito. E em último lugar temos estofo azul, pois azul fala da sua natureza celestial. Por isso é que João enfatiza Jesus Cristo como Deus, pois Ele é a Palavra ou o Deus que se fez carne. Então vemos Rei, Servo, Homem e Deus. Apocalipse 4:7. O primeiro ser vivente é semelhante a leão, o segundo, semelhante a novilho, o terceiro tem o rosto como de homem, e o quarto ser vivente é semelhante à águia quando está voando.
É muito importante que conheçamos o que Deus tem ocultado para nós no Tabernáculo de Moisés. Muitas partes do Antigo e do Novo Testamento tornam-se sem significado para nós sem uma compreensão geral, conhecimento e interpretação daquilo que se relaciona com o Tabernáculo no deserto. A Bíblia inteira está baseada na celebração, nas ordenanças e nas cerimônias relacionadas com esta estrutura. Contudo, esta é uma das áreas de estudo mais negligenciadas por grande parte do povo de Deus. Agora vale lembrar que nem um alfinete ou um botão de ornamento ficou de fora das instruções divinas, e Moisés foi avisado repetidamente para manter-se rigorosamente fiel a todos os detalhes conforme está escrito em Êxodo 25:40 Vê, pois, que tudo faças segundo o modelo que te foi mostrado no monte. Amém.

Assista as ministrações em nosso canal no youtube