"NOSSA VISÃO: CONHECER A CRISTO CRUCIIFICADO E TORNÁ-LO CONHECIDO, EM TODO LUGAR, POR MEIO DA GRAÇA."

sábado, 3 de julho de 2010

PRECISAMOS DE VISÃO ESPIRITUAL

Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas. Apocalipse 3:18.

Quando contemplamos o estado de coisas no mundo hoje, ficamos profundamente impressionados e oprimidos com a prevalecente doença da cegueira espiritual. Ela é a causa da doença do nosso tempo. Não estaríamos muito errados se disséssemos que a maior parte dos problemas, se não todos, que o mundo está sofrendo tem sua origem naquela raiz: a cegueira. As multidões estão cegas; não há dúvida sobre isso. Num dia em que se imagina ser um dia de inigualável iluminação, as multidões estão cegas. Os líderes estão cegos; “guias cegos guiando outros cegos”. Mas numa grande escala, o mesmo é verdadeiro com respeito ao povo de Deus. Falando de modo geral, os cristãos hoje são muito cegos. Nós como povo de Deus; povo que já morremos com Cristo, temos buscado a visão espiritual? Vejamos a oração de Paulo pelos efésios. Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele. Efésios 1:17.
Estas palavras são dirigidas a pessoas que têm visão, mas para as quais esta ampla esfera de significado divino aguarda que conheçam uma obra mais plena do Espírito Santo, na questão da visão espiritual. Nós como Igreja do Senhor, homens e mulheres que fomos comprados com seu sangue, jamais podemos estacionar nesta questão da visão espiritual, pois estaremos correndo grande perigo. Se apenas por um momento permitirmos ser influenciados por tais questões como: De que modo isso me afetará? Quanto isso me custará? O que vou ganhar ou perder com isso? Este é o momento em que as trevas podem tomar posse dos nossos corações e aí seguiremos outro caminho. Vejamos um exemplo sobre o apóstolo Paulo. Não há dúvidas quanto à sua cegueira. Sua cegueira era seu zelo religioso, seu zelo por Deus, seu zelo pela tradição, seu zelo por sua religião histórica. Era um zelo cego, sobre o qual mais tarde precisou falar: Na verdade, a mim me parecia que muitas coisas devia eu praticar contra o nome de Jesus, o Nazareno. Atos 26:9. Que reviravolta tremenda aconteceu quando ele descobriu que as coisas que ele pensava e apaixonadamente pensava que devia fazer, a fim de agradar a Deus e satisfazer sua própria consciência, eram totalmente opostas a Deus e ao caminho do bem e da verdade. Certamente Saulo permanece como uma advertência constante para todos nós de que o zelo por alguma coisa não prova necessariamente que certa coisa é correta e que estamos no caminho certo. Cuidado com as aparências. Há caminho que parece direito ao homem, mas o seu fim são os caminhos da morte. Provérbios 16:25.
Para muitas pessoas o que as impede de ver é o fato de verem demais na direção errada. Elas estão vendo com sentidos naturais, faculdades naturais da razão, intelecto e do conhecimento; tudo isso está no caminho. Paulo se levanta para nos dizer que, algumas vezes, para vermos em realidade, é necessário ficarmos cegos. É evidente que isso deixou sua marca nele, assim como o dedo do Senhor deixou Sua marca em Jacó, para o resto de sua vida. Paulo esteve na Galácia e mais tarde escreveu sua carta a eles: Pois vos dou testemunho de que, se possível fora, teríeis arrancado os próprios olhos para mos dar Gálatas 4:15.
Ele está dizendo que eles notaram sua aflição, estavam conscientes daquela marca que se estendeu desde o caminho de Damasco e sentiram por ele tanto que, se fosse possível, teriam arrancado os olhos para dar a ele. Mas é maravilhoso que a comissão que Paulo recebeu quando foi naturalmente cegado no caminho de Damasco foi toda sobre os olhos. Ele ficou cego e outros o levaram pela mão para Damasco. Mas o Senhor nesta hora lhe disse: Para os quais eu te envio, para lhes abrires os olhos e os converteres das trevas para a luz e da potestade de Satanás para Deus Atos 26:17b. e 18a.
Nós corremos um grande risco de perdermos a visão espiritual quando vivemos para nós mesmos. Nossos gostos, nossa vontade, nosso idealismo. É por isso que muitos estão vivendo uma vida cristã morna. Não será este o seu caso? Irmãos, Perder a visão espiritual é perder a característica sobrenatural da vida espiritual, e isso produz a situação de Laodicéia. Se você buscar entrar no âmago dessa questão, esse estado de coisas representado por Laodicéia, nem quente nem frio, isto leva o Senhor a dizer: Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca. Apocalipse 3:16.
Muitos já desceram bastante em seu caminho para a terra e perdeu sua característica celestial. Perder a visão espiritual é perder a característica sobrenatural da vida espiritual. Quando se perde a visão sempre haverá desajustes, outra direção, corrupção, etc. Não importa o quanto religiosa seja uma pessoa, o Senhor tem apenas uma palavra a dizer: “compre colírio”; essa é a sua necessidade. Isso nos traz à necessidade do nosso tempo, a necessidade que naturalmente é de toda hora, de todo dia, de toda era: Visão espiritual. O cristianismo se tornou amplamente uma tradição. A verdade foi dividida em verdades e colocada num Livro Dourado, o Livro Dourado da Doutrina Evangélica, uma coisa fixa e cercada. Estas são as doutrinas evangélicas. Elas estabelecem os limites do cristianismo evangélico em pregação e ensino. Mas o que estou tentando passar é isto: não são novas verdades, nem a mudança da verdade e sim que haja aqueles que, ao apresentar a verdade, possam ser reconhecidos por aqueles que ouvem como homens que viram. Vamos ler João 9:25 Ele retrucou: Se é pecador, não sei; uma coisa sei: eu era cego e agora vejo.
É esse fator do “ver” que faz toda a diferença. Irmãos é algo bem maior do que você e eu tenhamos desfrutado. Fique bem ciente de que quando se tem a visão espiritual, de imediato todo o inferno se une contra isso, e o homem cujos olhos foram abertos vai enfrentar o inferno. Este homem em João 9 teve que encará-lo de imediato. Eles o lançaram fora e até seus pais temeram ficar do lado dele, por causa do preço. Ao serem interrogados pelos fariseus seus pais responderam: Sabemos que este é nosso filho e que nasceu cego; mas não sabemos como vê agora; ou quem lhe abriu os olhos também não sabemos. Perguntai a ele, idade tem; falará de si mesmo. João 9:20a. e 21.
Eles viram um sinal de perigo e estavam tentando evitar a questão. Existe um preço para ver e pode custar tudo, por causa do grande valor de ver o Senhor e por ser oposto a Satanás, o deus dessa era, que cegou as mentes dos não-crentes. Satanás não vai aceitar isso, nem no início nem em qualquer medida. Ter visão espiritual é algo tremendo. Isso é algo que não acontecia antes. Tal experiência produz um impacto, uma certeza. Vida e luz sempre andam juntas na Palavra de Deus. Se um homem realmente vê, existe vida e elevação. Se você está vendo algo de segunda mão, algo estudado, lido, trabalhado, não existe vida nisso, a não ser talvez um falso e temporário interesse e fascinação passageira. Mas não existe vida real que faz as pessoas viverem. Quando temos a visão espiritual somos conquistados totalmente por ela. Quando Pedro e João estavam diante do Sinédrio, onde estavam sendo ameaçados caso falassem mais sobre o nome de Jesus Cristo eles responderam: Pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos. Atos 4:20.
Irmãos entendam que a visão espiritual não é o nosso estudo, nosso aprendizado, nosso conhecimento de livros, mas sim um “espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dEle, os olhos do coração iluminados”. É esse “ver” que manifesta o tom de autoridade tão necessário. Esse é o elemento, a característica exigida hoje. Não é apenas o ver pelo fato de ver, mas sim a introdução de um novo tom de autoridade. Estamos desfalecendo terrivelmente em cada área da vida, pela ausência da voz de autoridade. A igreja está desfalecendo pela ausência da voz de autoridade, ausência daquele tom profético: “Assim diz o Senhor!”. O mundo está desfalecendo pela ausência de autoridade, e essa autoridade está com aqueles que viram. Existe mais autoridade no homem nascido cego que vê, em seu testemunho, do que em todo o Israel com toda a sua tradição e conhecimento. E não seria isso que tinha tanto peso a respeito do Senhor Jesus? Porque ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas. Mateus 7:29. Irmãos, só teremos a verdadeira autoridade sendo manifesta em nós, quando tivermos a visão do Senhor. Então peçamos a Ele. Clama a mim, e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes, que não sabes. Jeremias 33:3. Amém.
Graça e paz.

Seja um seguidor(a) do blog

2 comentários:

Cristina Labre disse...

A Paz do Senhor Jesus! Claudio, realmente precisamos ter uma visão espiritual,assim como uma linguagem espiritual, pois a nossa visão estar mundano demais!!!
tenho acompanhado bem de perto esse Blog, pois gosto muito dele.
Que Deus continue abençoando-te muitíssimo sua familia e ministério! Deixo-lhe a Paz de Cristo Jesus!!

http://www.espiritosantoevoce.blogspot.com/

wagner barros disse...

A Paz do Senhor irmão Claudio, sempre cito que tenho saudade da igrejinha, onde quando criança vi muitos milagres, libertações e as pessoas tinham medo de ir a igreja se estivessem em pecado, não pela crueldade de Deus mais pela sua justiça, amor, poder e autoridade, oro todos os dias por um reavivamento. Deus te abençoe e que o seu gloriosos Espírito continue te usando poderosamente.
visite e se desejar siga:
http://saude-e-eternidade.blogspot.com/