"NOSSA VISÃO: CONHECER A CRISTO CRUCIIFICADO E TORNÁ-LO CONHECIDO, EM TODO LUGAR, POR MEIO DA GRAÇA."

domingo, 23 de maio de 2010

OFERTA DE MANJARES: A HUMANIDADE DE CRISTO

Quando alguma pessoa fizer oferta de manjares ao SENHOR, a sua oferta será de flor de farinha; nela, deitará azeite e, sobre ela, porá incenso. Levítico 2:1.

A oferta de manjares ou oferta de cereais tipifica Cristo em Seu viver humano. A ênfase do holocausto está no viver de Cristo para Deus, sendo obediente a Deus até à morte, implicando Seu viver, contudo enfatizando Sua morte. A ênfase da oferta de manjares está no viver humano de Cristo e no andar diário, implicando Sua morte, contudo enfatizando Seu viver. O holocausto enfatiza que Cristo é a justiça de Deus, ao passo que a oferta de manjares enfatiza que Cristo é justo diante de Deus. A fina flor de farinha, o elemento principal da oferta de cereais, significa a humanidade de Cristo, que é fina, perfeita, tenra, equilibrada, e adequada de toda maneira, sem qualquer excesso ou deficiência. Isto significa a beleza e excelência do viver humano e andar diário de Cristo. A fina flor de farinha da oferta de manjares era produzida a partir do trigo que tinha passado por muitos processos, que significam os vários sofrimentos de Cristo que O fez “um homem de dores”. Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Isaías 53:3. Em contraste ao holocausto, nada da vida animal, mas somente a vida vegetal, é vista na oferta de manjares. Como um tipo de Cristo, a vida vegetal indica o produto, a propagação, e o aumento para o suprimento de vida às pessoas. O azeite da oferta de cereais significa o Espírito de Deus como o elemento divino de Cristo. Na oferta de manjares, o azeite era misturado com a fina flor de farinha e derramado sobre ela, para ungi-la, significando que o Espírito de Deus, como a divindade de Cristo, estava mesclado com Sua humanidade e que o Espírito foi derramado sobre Ele a fim de ungi-lO. Isto é uma figura dos dois aspectos da experiência do Espírito de Deus por Cristo. A oferta de manjares fala da humanidade pura e perfeita de nosso bendito Senhor, e é um tema que requer a atenção de todo o verdadeiro filho de Deus. Existe, contudo, uma consideração que devemos apreciar de uma forma fundamental, que é a doutrina da humanidade de Cristo. Sabem por quê? Porque satanás tem procurado diligentemente, desde o princípio, induzir as pessoas em erro a este respeito. Quase todos os erros principais que se têm introduzido na igreja, revelam o propósito satânico de minar a verdade quanto à pessoa de Cristo. No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós. Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração. João 1:1, 14 a. e Colossenses 3:16.
O incenso na oferta de manjares significa a fragrância de Cristo em Sua ressurreição. O fato que o incenso era posto sobre a fina flor de farinha significa que a humanidade de Cristo carrega o aroma de Sua ressurreição. Conforme retratado nos quatro evangelhos, Cristo viveu uma vida em Sua humanidade mesclada com Sua divindade e expressando ressurreição a partir dos Seus sofrimentos. Cristo estava sempre cheio com o Espírito e saturado com ressurreição. Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá. João 11:25.
Parte da flor de farinha e do azeite e todo o incenso da oferta de manjares eram alimento para Deus. Isto significa que uma porção considerável do viver excelente, perfeito, cheio do Espírito e saturado de ressurreição de Cristo é oferecido a Deus como alimento para Seu desfrute. Esta porção é tão satisfatória para Deus que se torna um memorial. O restante da oferta, consistindo da fina flor de farinha e do azeite, mas não do incenso, era alimento para os sacerdotes servidores. Enquanto o holocausto é alimento para Deus para Sua satisfação, a oferta de manjares é nosso alimento para nossa satisfação, uma porção também sendo compartilhada com Deus. Agora podemos compreender que a adoração apropriada é uma questão de satisfazer a Deus com Cristo como o holocausto e de ser satisfeito com Cristo como a oferta de manjares e compartilhar esta satisfação com Deus. Deus é Espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade. João 4:24. Todas as ofertas de manjares eram oferecidas e queimadas sobre o altar, significando que Cristo em Sua humanidade oferecida a Deus, como alimento, passou por meio do fogo testador. O fogo em Levítico 2 significa o Deus consumidor, não para julgamento, mas para aceitação. O consumir da oferta de manjares pelo fogo significa que Deus aceitou Cristo como Seu alimento de cheiro suave. O preparo da oferta de cereais em um forno, em uma assadeira, ou em uma frigideira, significa diferentes tipos de sofrimentos experienciados por Cristo em Sua humanidade. Vocês se lembram de um bolo perfurado, relacionado ao verbo traspassar? O perfurar ou traspassar dos bolos significa um tipo dos sofrimentos de Cristo em Sua humanidade. Contudo, um dos soldados lhe furou o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. João 19:34. O mesclar da fina flor de farinha com azeite na oferta de cereais, significa que a humanidade de Cristo está mesclada com o Espírito Santo, e Sua natureza humana está mesclada com a natureza divina de Deus, tornando-O um homem-Deus. Cristo é tanto o Deus completo quanto o homem perfeito, possuindo a natureza divina e a natureza humana distintamente, sem uma terceira natureza sendo produzida. Por meio do mesclar divino, a humanidade de Cristo foi soerguida ao mais alto padrão. Em Sua divindade, Cristo tem os atributos divinos, e estes atributos divinos são expressos por, com, e em Suas virtudes humanas. Esta é a excelência de Jesus Cristo.
Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste. Mateus 5:48.
Na oferta de manjares, o azeite e a fina flor de farinha são mesclados e não podem ser separados. Conseqüentemente, comer a fina flor de farinha é comer o azeite. A figura em Levítico 2 indica fortemente que a maneira de sermos nutridos com a humanidade de Cristo, e, portanto experienciá-lO em Seu viver humano é pelo Espírito. Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne. João 6:51.
Os bolos da fina flor de farinha são as espécies maiores da oferta de manjares, e significam a experiência mais forte de Cristo, em Sua humanidade, pelos cristãos maduros. Obréias são ocas e fáceis de comer. Elas significam Cristo, em Sua humanidade, experienciado e desfrutado pelos cristãos mais jovens. Cristo, como a oferta de manjares, está disponível como alimento ao povo de Deus de todas as eras. João 6:58 Este é o pão que desceu do céu, em nada semelhante àquele que os vossos pais comeram e, contudo, morreram; quem comer este pão viverá eternamente.
A oferta de manjares podia ser na forma de flor de farinha mesclada com azeite, ou na forma de um bolo. O primeiro significa o Cristo individual e também o cristão individual. O segundo significa o Cristo corporativo, Cristo com Seu Corpo, a igreja. O Cristo individual tem Se tornado o Cristo corporativo, retratado pelo pão ou pelo bolo. Porque nós, embora muitos, somos unicamente um pão, um só corpo; porque todos participamos do único pão. 1 Coríntios 10:17.
Isto indica que finalmente a vida de Cristo e nossa vida cristã individual resultam numa totalidade: a vida da igreja como uma oferta de manjares corporativa. Tal vida é uma vida de humanidade mesclada com o Espírito Santo e que tem o Espírito Santo derramado sobre ela, uma vida com sal e incenso, porém sem nenhum fermento ou mel. Ambas as formas da oferta de manjares temos o Cristo individual e o Cristo corporativo, a vida da igreja que são alimentos de cheiro suave a Deus e para nossa nutrição. O fato que a oferta de manjares era partida em pedaços significa que a humanidade de Cristo é perfeita, contudo jamais é mantida inteira; ela está sempre partida. Este partir significa outra espécie de sofrimento pelo qual Cristo passou em Sua humanidade. O fato que a oferta de manjares era sem fermento significa que, em Cristo, não há pecado ou qualquer coisa negativa. O fato que a oferta de manjares era sem mel significa que, em Cristo, não há afeição natural ou bondade natural. Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um, que é Deus. Marcos 10:18. Isto é viver a vida de cruz. Somente Cristo viveu diariamente uma vida crucificada, negando a Si mesmo e a Sua vida natural e vivendo uma vida de total dependência do Pai. Você está nEle? Amém.

2 comentários:

Ruth Clélia de Souza disse...

a paz queridos, parabens pelo excelente trabalho sobre o livro de levitico, que Deus continue os abençoando dia a dia.

Ruth Clélia de Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.