"NOSSA VISÃO: CONHECER A CRISTO CRUCIIFICADO E TORNÁ-LO CONHECIDO, EM TODO LUGAR, POR MEIO DA GRAÇA."

terça-feira, 31 de agosto de 2010

A IRA DO DEUS DE AMOR

Do céu Deus revela a sua ira contra todos os pecados e todas as maldades das pessoas que, por meio das suas más ações, não deixam que os outros conheçam a verdade a respeito de Deus. Romanos 1:18(NTLH).

O motivo pelo qual muitos dão respostas erradas às perguntas acerca da cruz, e até mesmo fazem perguntas erradas, é que não pensaram cuidadosamente na seriedade do pecado nem na majestade de Deus. A própria palavra “pecado”, em nossos dias, desapareceu do vocabulário da maioria das pessoas. A palavra grega “hamartia” descreve “o pecado como um não atingimento do alvo, ou fracasso em alcançar um objetivo”. Pecado no sentido exato da palavra significa arrogância, desejo de ser igual a Deus e a asserção da independência humana contra Deus. Adão, antes mesmo de transgredir uma ordenança do Senhor, foi incrédulo. E quando alguém não crê naquilo que Deus diz em Sua Palavra, está assumindo uma posição de se auto-dirigir, e quem se auto-dirigi, também assume as conseqüências, ou seja, Deus não pode salvar uma pessoa que não quer ser salva. Salmos 9:17 Os ímpios serão lançados no inferno e todas as nações que se esquecem de Deus.
Irmãos será que a queda não enfraqueceu seriamente a responsabilidade do ser humano? Já não é o homem responsável por suas ações? Claro que sim. O homem jamais peca totalmente por causa da fraqueza, mas sempre também pelo fato de que se entrega em fraqueza. Mesmo no mais obtuso pecador há uma fagulha de decisão. O ser humano, no centro de sua personalidade é feito responsável pelo seu pecado. Então, pensem comigo irmãos, de que maneira poderia Aquele que é infinitamente santo ficar indiferente ao pecado e negar-Se a manifestar a Sua “ira” para com ele? Como poderia Aquele que só tem prazer no que é puro e nobre, deixar de detestar e de odiar o que é impuro e vil? A própria natureza de Deus faz do inferno uma necessidade tão real, um requisito tão imperativo e eterno como o céu o é. É por isso que o nosso Deus sente indignação todos os dias. Deus é um juiz justo, um Deus que se ira todos os dias. Salmos 7:11. Pecado é uma coisa séria, contudo estamos vendo muita gente brincando com essa coisa séria. Não existe remédio para este mundo perverso, senão a cruz de Cristo. Os grandes “pregadores” estão prescrevendo para o povo um remédio que não pode lhe trazer cura. Pois eles mesmos são vitimas deste espírito enganoso do modernismo, o qual nega a gravidade do pecado. Somente um diagnóstico correto, poderá ser prescrito um remédio apropriado. Remédios superficiais são sempre o resultado de um diagnóstico falho. Vejamos o que nos diz o profeta maior: Curam superficialmente a ferida do meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz. Jeremias 8:11.
A Bíblia leva o pecado a sério porque leva o homem a sério. Nunca podemos nos esquecer que o nosso Deus e Pai é santo. Nós precisamos enxergar que intimamente relacionada com a santidade de Deus está a sua ira, a qual é, de fato, sua reação santa ao mal. Certamente não podemos descartá-la dizendo que o Deus de ira pertence ao Antigo Testamento, ao passo que o Deus do Novo é amor. Pois o amor de Deus claramente se manifesta no Antigo Testamento, como também a sua ira no Novo. Vamos ler Hebreus 10:26-27,30. Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma certa expectação horrível de juízo e ardor de fogo, que há de devorar os adversários. Porque bem conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo.
A ira dos homens não se assemelha à ira de Deus. A ira de Deus é absolutamente pura e não é contaminada pelos elementos que tornam pecaminosa a ira humana. A ira humana em geral é arbitrária e desinibida; a ira divina é sempre íntegra e controlada. A ira do homem tende a ser uma explosão espasmódica, despertada por melindres e desejos de vingança; a de Deus é um antagonismo contínuo e constante, despertado somente pelo mal, e expresso na condenação dele. Deus é totalmente livre de animosidade ou sentimentos de vingança pessoal; de fato, Deus é alimentado simultaneamente pelo amor constante ao ofensor. A ira de Deus não é nenhum pesadelo de uma fúria indiscriminada, descontrolada e irracional, mas a ira de um Deus santo e misericordioso trazida para fora pela impureza e injustiça dos homens e contra elas dirigida. E Deus nos diz em Sua Palavra que até a ira humana irá louvá-lo. Salmos 76:10 Pois até a ira humana há de louvar-te; e do resíduo das iras te cinges.
A santidade de Deus expõe o pecado, e a sua ira se opõe a ele. De forma que o pecado não pode chegar-se a Deus, e Deus não pode tolerar o pecado. Agora pensem comigo irmãos, se Deus é santo, e quando cremos que morremos com Cristo para o pecado, não pode haver mais pecado em nós, porque agora este Deus santo vem habitar em nós pelo Seu Espírito. Isto indica que o filho de Deus também rejeita o mal tão decisivamente quanto o corpo humano rejeita o veneno mediante o vômito. Então podemos entender que Deus não pode estar na presença do pecado, e que se o homem que vive no pecado chegar-se a Ele é repudiado e consumido pela sua ira. Isto significa a ira de Deus contra o pecado. É por isso que Deus só pode habitar naquele que foi crucificado com Cristo. Sem está experiência de morte para o pecado no corpo de Cristo, não pode haver nenhuma possibilidade de sermos feitos filhos de Deus. Por quê? Porque Ele é santo. Vejam que rica oportunidade Ele nos dá para crermos: Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição. Romanos 6:5.
É necessária a nossa morte com Cristo, caso contrário, nunca seríamos libertos do pecado. “Quem morreu está justificado do pecado”. É que o pecado suscita a ira de Deus. Isso não quer dizer que Deus é capaz de explodir a mais trivial provocação, muito menos que Ele perde as estribeiras por nenhum motivo aparente. Pois nada há de caprichoso ou arbitrário no santo Deus. Nem jamais Ele é irascível, malicioso, rancoroso ou vingativo. A ira de Deus não é misteriosa nem irracional. Jamais é imprevisível, mas sempre previsível por ser provocada pelo mal e pelo mal somente. A ira dEle, é o seu antagonismo firme, constante, continuo e descomprometido para com o pecado em todas as suas manifestações. A ira de Deus é a sua reação contra o pecado, a qual o leva a castigar o pecador.
Agora, em breve, derramarei o meu furor sobre ti, cumprirei a minha ira contra ti, julgar-te-ei segundo os teus caminhos e porei sobre ti todas as tuas abominações. Os meus olhos não te pouparão, nem terei piedade; segundo os teus caminhos, assim te castigarei, e as tuas abominações estarão no meio de ti. Sabereis que eu, o SENHOR, é que firo. Ezequiel 7:8-9. Porém maior do que a ira de Deus é o seu amor, que perdoa aqueles que crêem em Cristo crucificado. Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus. João 3:36. Deus não nos ama porque Cristo morreu por nós; Cristo morreu por nós porque Deus nos amou. É a ira de Deus que necessitava ser favorecida, é o amor de Deus que fez o favorecimento a nós. Irmãos como podemos ser indiferentes com relação a este amor? A ira de Deus é totalmente justa e não passa de um momento sobre todos os que crêem e obedecem. Vamos ler em Isaías 54:7-8 Por breve momento te deixei, mas com grandes misericórdias torno a acolher-te; num ímpeto de indignação, escondi de ti a minha face por um momento; mas com misericórdia eterna me compadeço de ti, diz o SENHOR, o teu Redentor. Também podemos ler no livro de Salmos 30:5 Porque não passa de um momento a sua ira; o seu favor dura a vida inteira. Ao anoitecer, pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã. A ira de Deus é uma perfeição do caráter divino sobre a qual precisamos meditar com freqüência. Não podemos nos esquecer que precisamos vigiar o mais possível em oração contra o perigo de criar em nossa mente uma imagem de Deus segundo o modelo das nossas inclinações pecaminosas. Pois se agirmos assim despercebidos, despreocupados e rebeldes, certamente a ira do Senhor permanece sobre nós e vamos sofrer muito a Sua disciplina. Sejamos obedientes ao Senhor e a Sua Palavra. Pois todas as pessoas sem Cristo estão condenadas a sofrer a ira que virá sobre este mundo perverso e mal, mas os renascidos serão livres da ira futura pelo Cordeiro. E para aguardardes dos céus o seu Filho, a quem ele ressuscitou dentre os mortos, Jesus, que nos livra da ira vindoura. 1 Tessalonicenses 1:10. Amém.
DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO EM CRISTO JESUS - GRAÇA E PAZ.

Um comentário:

Edson Gomes disse...

SE DEUS É AMOR E O AMOR NÃO SE IRRITA COMO PODE UM DEUS SE IRRITAR TODOS OS DIAS ?