"NOSSA VISÃO: CONHECER A CRISTO CRUCIIFICADO E TORNÁ-LO CONHECIDO, EM TODO LUGAR, POR MEIO DA GRAÇA."

domingo, 6 de março de 2011

DO REINO DA MORTE PARA O REINO DA VIDA

Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo. 1 Coríntios 15:22.
Neste verso encontramos o relato humilhante da fraqueza e impotência do homem e sua sujeição ao domínio da morte. Adão podia ter vivido centenas de anos e gerar filhos e filhas; mas, por fim tinha que ser escrito que morreu. A Bíblia diz que a morte reinou desde Adão até Moisés. E, mais, “aos homens está ordenado morrerem uma só vez”. O homem não pode vencer esta lei. Não pode, por meio da tecnologia, da eletricidade ou coisa que esteja ao alcance do seu gênio, que é desarmar a morte do seu aguilhão terrível. O homem não pode, por sua própria força, por de lado a sentença de morte, embora possa produzir os confortos e prazeres da vida. Mas donde veio esta coisa estranha e temível, a morte? Paulo nos dá resposta a esta pergunta em
Romanos 5:12(NTLH) O pecado entrou no mundo por meio de um só homem, e o seu pecado trouxe consigo a morte. Como resultado, a morte se espalhou por toda a raça humana porque todos pecaram.
Aqui temos a origem da morte. Veio pelo pecado. O pecado quebrou em dois o elo que ligava a criatura ao Deus vivo; e, isto feito, ela foi entregue ao domínio da morte, do qual domínio não tinha poder algum para se libertar. E isto, note-se, é uma das muitas provas do fato da impossibilidade do homem para se encontrar com Deus. Por isso não pode haver comunhão entre Deus e o homem, salvo no poder da vida; mas o homem está debaixo do poder da morte; por isso, não pode haver comunhão com base em meios naturais.
O pecado separa o homem de Deus. Pois são os pecados de vocês que os separam do seu Deus, são as suas maldades que fazem com que ele se esconda de vocês e não atenda as suas orações. Isaías 59:2(NTLH).
A Vida não pode ter comunhão com a morte, assim como não há comunhão entre a luz e as trevas, a santidade e o pecado. O homem tem que se encontrar com Deus num terreno absolutamente novo, e sobre um novo princípio, a saber, a fé; e esta fé habilita-o a reconhecer a sua própria posição de “vendido ao pecado”, e, portanto, sujeito à morte; enquanto que, ao mesmo tempo, habilita-o a compreender o caráter de Deus, como o doador de uma nova vida. Vida para além da morte, uma vida que nunca pode ser tocada pelo inimigo, nem perdida por nós. Hoje quando cremos em nossa inclusão no Corpo de Jesus Cristo, algo acontece, a nossa velha natureza é crucificada e morta. Na cruz, Deus em Seu amado Filho Jesus nos substituiu nos dando uma vida nova, a vida de Cristo. Recebemos a vida do Cristo ressuscitado e glorificado, do Cristo vitorioso sobre todas as coisas que podiam ser contra nós.
Quem nos separará do amor de Cristo? Romanos 8:35a.
A vida de Adão era fundada sobre a sua própria obediência; e, portanto, quando desobedeceu perdeu o direito à vida. Porém, Cristo, tendo vida em Si Mesmo, veio ao mundo, e satisfez inteiramente todas as circunstancias do pecado do homem, de todos os modos possíveis; e, submetendo-Se à morte, destruiu aquele que tinha o seu império e na ressurreição, torna-se a vida e justiça de todos os que crêem no Seu excelente nome.
Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles. Mateus 1:21.
Ora, é impossível que satanás possa tocar nesta vida, quer seja na sua origem, no seu meio, o seu poder, a sua espera, ou a sua duração. Deus é a sua origem; Cristo ressuscitado é o seu meio; o Espírito Santo, o seu poder; o céu é a sua esfera; e a eternidade a sua duração. Por isso, como podia esperar-se, para aquele que possui esta maravilhosa vida a cena ser alterada? O próprio Senhor disse que aquele que crer nele verdadeiramente jamais iria perecer.
Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. João 10:28.
Os nossos olhos precisam ser abertos para vermos claramente. Irmãos, não há morte na esfera em que Cristo ressuscitado introduz o Seu povo. Como pode haver? Não o aboliu a morte? Não pode ser uma coisa abolida e existente ao mesmo tempo, e para as mesmas pessoas. As Escrituras Sagradas diz que foi abolida, então caso encerrado! Cristo esgotou a cena da morte, e encheu-a de vida; e, portanto, não é a morte, mas a glória que está em frente da nova criatura. A morte está atrás do cristão, e atrás dele para sempre. Quanto ao futuro, é todo glória! É verdade que pode muito bem ser que tenhamos de adormecer, ou seja, dormir em Jesus, mas isso não é morte, mas vida em atividade. O próprio fato de partir para estar com Cristo não pode alterar a esperança específica do cristão, a qual é encontrar Cristo nos ares, para estar com Ele, e ser semelhante a Ele, para sempre.
Mas eu te verei, pois tenho vivido corretamente; e, quando acordar, a tua presença me encherá de alegria. Salmos 17:15(NTLH).
No Antigo Testamento vemos uma pessoa que não passou pela morte: Enoque. Enoque é uma exceção à regra. A regra é, morreu; a exceção é, “para não ver a morte”. Lemos em Hebreus 11:5 Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte; não foi achado, porque Deus o trasladara. Pois, antes da sua trasladação, obteve testemunho de haver agradado a Deus.
Enoque foi o sétimo desde Adão; e é profundamente interessante vermos que à morte não foi permitido triunfar sobre “o sétimo”; mas que, no seu caso, Deus interveio e fez dele um troféu da Sua própria vitória gloriosa sobre todo poder da morte. O coração exulta, depois de ter lido, seis vezes, o triste relato “e morreu”, por descobrir que o sétimo não morreu. E quando perguntamos, como se fez isso, a resposta é “pela fé”. Enoque viveu na fé da sua trasladação, e andou com Deus trezentos anos. Isso o separava praticamente de tudo à sua volta. Andar com Deus deve, necessariamente, por uma pessoa fora da esfera dos pensamentos deste mundo. Enoque cumpriu isto; porque, nos seus dias, o espírito do mundo era manifesto; e era, também como agora, oposto a tudo que era de Deus. Enoque andou com Deus. Vamos ler Gênesis 5:24(NTLH) Ele viveu sempre em comunhão com Deus e um dia desapareceu, pois Deus o levou.
Enoque o homem que viveu pela fé, sentia que nada tinha a fazer com o mundo, salvo ser uma testemunha paciente nele da graça de Deus, e do juízo vindouro. Os filhos de Caim podiam gastar as suas energias num esforço vão de melhorar o mundo amaldiçoado, mas Enoque achou um mundo melhor, e viveu no poder dele. A fé de Enoque não lhe foi dada para melhorar o mundo, mas para andar com Deus. O andar com Deus nos conduz a vida e nos leva a separação e renuncia própria. Andar com o Senhor nos leva a santidade e beleza moral. Andar com Deus é gracioso e nos torna afáveis, humildes e cheios de ternura. Andar com Deus abrange tudo que está dentro dos limites da vida divina, quer seja ativa ou passiva. Compreende o conhecimento do caráter de Deus tal qual Ele o revelou. Implica também a compreensão do parentesco que temos com Ele. Não se trata da mera maneira de viver de regras e regulamentos. E para andar com Deus só é possível quando somos tirados do reino da morte para o reino da vida, através do bendito sacrifício do Nosso Senhor Jesus na Cruz. Agora temos as suas bênçãos porque andamos retamente. Nenhum bem sonega aos que andam retamente. Salmos 84:11b. Amém.
GRAÇA E PAZ AMIGOS E IRMÃOS.

4 comentários:

Pr. Linaldo Junior disse...

Muitos não tem tido entendimento disto; portanto que bênção por esta exposição que mostra tal verdade. Deus abençoe, Graça e Paz!

Jenuíno disse...

Muito bacana teu espaço...
Já estou seguindo!

" Analisando tudo, retendo o que é de proveito, pra ver se me recontruo ou fico guardado"

Abraços do Rafah
http://eternizadoempalavras.blogspot.com/

Sonhos De Deus disse...

Oii uma benção a mensagem ,passando pr ti desejar um lindo final de semana,e que você mantenha o foco no futuro,não perca a coragem,confia em Deus e tera uma grande recompensa!

Cristina Labre disse...

Glória a Deus pois ninguém, ninguém nos arrebatará de suas mão!!! nada pode nos separar do amor do Senhor, foi ele quem nos criou, depois nos comprou e agora escolhemos permanecer Nele.