"NOSSA VISÃO: CONHECER A CRISTO CRUCIIFICADO E TORNÁ-LO CONHECIDO, EM TODO LUGAR, POR MEIO DA GRAÇA."

domingo, 13 de fevereiro de 2011

NÃO TE IMPACIENTES

Deixa a ira, abandona o furor; não te impacientes; certamente, isso acabará mal. Salmos 37:8.
Uma das maiores dificuldades do ser humano é esperar. Nossa paciência é curta. Queremos que tudo aconteça de nosso modo e no nosso tempo. O século 21 é o século do imediatismo. Paciência parece ser uma virtude em extinção. Esperar produz em nós estresse. Somos a geração do “fast-food”, da comunicação virtual, da Internet banda larga, da celeridade. Alcançamos o mundo na ponta de nossos dedos. Trazemos o universo para o recesso de nossa sala. Em tempo real, assistimos concomitantemente ao que se passa no planeta terra, essa pequena aldeia global. É imperativo que tudo funcione dentro das leis do imediatismo. Esperamos que até mesmo Deus se enquadre dentro desse cronograma. Não temos paciência para esperar. Esperar um dia, uma semana, um mês, um ano, parece-nos uma eternidade. Neste mundo de impaciência, desespero e desesperança, muitos têm uma esperança que não se desespera. A obra da cruz é o único método de Deus para por fim ao impaciente. Quando cremos que morremos com Cristo, o manso e humilde de coração vem habitar dentro.
Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? 1 Coríntios 3:16.
Muitos, porém, desesperam-se antes de esperar. Recentemente li a história de um médico francês cujo filho, vitimado por uma doença incurável, ao ver que todos os esforços haviam fracassado, aplicou em seu filho a eutanásia. Ao retornar do cemitério, onde havia depositado o corpo do filho amado, recebeu um telegrama de um médico amigo: “Acabamos de descobrir um remédio eficaz para a cura do seu filho. Segue pelo correio a dose que lhe salvará a vida”. Infelizmente, era tarde demais. Aquele pai não teve a capacidade de esperar, levantou-se contra a esperança e apressou a morte do próprio filho. A nossa alma é muito impaciente, a carne é impaciente demais. No campo espiritual devemos saber como trabalha o nosso bendito Pai celestial. Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera. Isaías 64:4.

Todos aqueles que já nasceram de novo esperam contra a esperança. Esses esperam quando parece loucura nutrir na alma qualquer expectativa. Esses compreendem que o Pai eterno se recusa a agir dentro das pressões de nossa agenda. Esses aceitam o fato de que Deus, muitas vezes, trabalha de forma artesanal e sem pressa para alcançar os melhores fins. Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna. Hebreus 4:16.
Nós temos na Palavra de Deus um homem que pelo fato de ser trabalhado pelo Senhor se tornou paciente. Estou falando de Abraão. A vida de Abraão, o Deus de Abraão, o relacionamento de Deus com Abraão e a espera de Abraão são tônicos para nossa alma, remédio para nosso coração. Observaremos esse patriarca e aprenderemos sobre a esperança que não se desespera. Só pode ter uma esperança que não se desespera quem crê no Deus dos impossíveis. Quero destacar alguns fatos importantes sobre Abraão. Você sabe com quantos anos Abraão começou a ouvir a Palavra de Deus? Aos 75 anos!
Partiu, pois, Abrão, como lho ordenara o SENHOR, e Ló foi com ele. Tinha Abrão setenta e cinco anos quando saiu de Harã. Gênesis 12:4.
Aos 75 anos, pensamos mais em “dependurar as chuteiras”, em nos aposentar, em entrar num pijama, comprar uma cadeira de balanço e encerrar a carreira. Abrão, aos 75 anos, começava seu caminhar com o Senhor, recebia o maior desafio de sua vida. Aos 75 anos, ele estava em pleno vigor, fazia arrojadas caminhadas, aceitava grandes desafios de Deus. Não há hora, não há tempo, não há idade para Deus chamar e desafiar você; e também para começar um novo projeto em sua vida. Deus pode começar uma obra extraordinária com pessoas de cabelos brancos e com a face marcada pelas rugas que o tempo esculpiu. Abrão a exemplo de nós também era um impaciente. Ele tinha nome, mas ainda não tinha filhos. Ele tinha a promessa, mas não a realidade. Abraão enfrenta quatro problemas para esperar: sua idade avançada; a esterilidade de sua mulher; a demora de Deus, pois haviam passado onze anos desde que Deus fizera a promessa do filho, e a escolha precipitada aos 86 anos, quando por sugestão de Sara, sua mulher, ele arranja um bebê com a escrava Agar.
Disse Sarai a Abrão: Eis que o SENHOR me tem impedido de dar à luz filhos; toma, pois, a minha serva, e assim me edificarei com filhos por meio dela. E Abrão anuiu ao conselho de Sarai. Gênesis 16:2.
Talvez sua angústia seja a mesma que assaltou o coração de Sara. Você espera há muito tempo o cumprimento de uma promessa. Você espera há anos a conversão de seu marido, de sua esposa, de seus filhos, de seus pais. Os anos correm, e nada! Aquele problema que aflige sua alma fica cada vez pior. O filho da promessa parece cada vez mais distante. Cada regra, cada menstruação de Sara era uma espera impaciente, até que ela entrou na menopausa, e Deus não cumpriu a promessa. Assim, Sara perdeu a paciência. Ismael, o filho de Abraão com Agar, foi a gestação da impaciência de Sara, e não a procura de Abraão. Irmãos, Abraão tinha 100 anos de idade quando Isaque nasceu. Leiamos Gênesis 21:5 Tinha Abraão cem anos, quando lhe nasceu Isaque, seu filho.

O apóstolo Paulo diz em Romanos 4:17b. Por pai de muitas nações te constituí, perante aquele no qual creu, o Deus que vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem.
O corpo de Abraão já estava amortecido. Já havia passado para Sara a idade própria de ser mãe. Se isso não bastasse, Sara ainda era estéril. O bom senso dizia: “Impossível!”. A razão gritava: “Não pode ser!”. Mas a fé diz: “Tudo é possível!”. Abraão esperou 25 anos desde a promessa até Isaque nascer. Será que teríamos condições de esperar uma promessa de Deus tanto tempo? Será que não teríamos sepultado essa promessa no túmulo de nossa incredulidade e desesperança? Abraão acreditava que a promessa de Deus não podia falhar. Ele confiava no caráter de Deus. Sua fé estava plantada no solo firme da promessa, e sua esperança estava posta no Deus que não pode mentir. O apóstolo Paulo escreve sobre Abraão:
Não duvidou, por incredulidade, da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu, dando glória a Deus, estando plenamente convicto de que ele era poderoso para cumprir o que prometera. Romanos 4: 20-21.
Depois que nasceu Isaque, Abraão é chamado a sacrificar o seu filho. Ao todo, são 39 anos desde o dia da promessa até o dia em que Deus pede Isaque de volta a Abraão. Agora, Abraão, de posse da promessa, escuta Deus lhe falando: Toma teu filho, teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes, que eu te mostrarei. Gênesis 22:2.

Havia uma paciência tão grande em Abraão que ele acreditava que a promessa de Deus não poderia ser frustrada, que Deus ressuscitaria seu filho. Ele acreditava que nem a morte podia colocar limites ao poder de Deus. Acreditava que, quando andamos com Deus, a morte não tem a última palavra. Com isso Abraão passou no teste e hoje ele é o pai da fé. Sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão. Gálatas 3:7.
Abraão compreendia que Deus era o Senhor de seus sonhos, por isso aguardou com paciência o cumprimento da promessa. Depois do choro, vem a alegria. Depois das lágrimas, vem o consolo. Depois do deserto, vem a terra prometida, depois da humilhação, vem a exaltação. Depois da cruz, vem a coroa. Depois da prisão, vem o trono. Como nós que cremos no Senhor Jesus Cristo, podemos ficar impacientes? Quando ganhamos a experiência da regeneração, Aquele que recebeu do Pai “todo poder no céu e na terra”, vem habitar dentro de nós. Será que não dá para descansarmos neste bendito fato? A nossa carne impaciente precisa ser tratada pela cruz num morrer diário.
Trazendo sempre por toda parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também em nossos corpos. 2 Coríntios 4:10.
Quando o desejo do nosso coração é desejar ser trabalhado pela cruz do Senhor, podemos dizer a nossa alma: Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu. Salmos 43:5. Amém.

GRAÇA E PAZ AMADOS(AS) DO SENHOR.

4 comentários:

Claudia Sunshine disse...

Graça e paz, meus irmãos!

Muito obrigada pela visita ao meu blog. Vim aqui conhecer e seguir também. Parabéns por serem mais um instrumento nas mãos de Deus através deste espaço na internet! Estou para aplicar no meu blog a lista de Blogs que acompanho, e vou inserir lá o link de vocês também. Só estou trabalhando muito e com falta de tempo, mas assim que eu puder lidar com isto eu o farei e passo aqui para avisá-los.

Vamos juntos, firmes, olhando para Jesus e pedindo a Ele que nos ajude sempre a tornar públicas mensagens a fim de ajudar as pessoas a buscarem a Deus, a se arrependerem dos seus pecados e a se decidirem definitivamente por Jesus, pois os dias são maus e Ele está prestes a voltar, não é?

Sempre que coloco uma palavra no Blog dos Últimos, seja texto escrito por mim ou copiado de outro blog ou site de outros irmãos, eu fico muito feliz por poder ser enriquecida com mensagens, poder deixar Deus falar ao meu coração e ver o quê de útil uma mensagem é para que eu me torne com o caráter cada vez mais parecido com o de Jesus, que é o que eu mais quero nesta vida. Espero estar sendo útil nas mãos dEle também, pois a internet tem um alcance muito grande, de pessoas que, por exemplo, nunca entrariam numa igreja, mas aqui é o espaço mais democrático (graças a Deus por isso), e mais à vontade para se falar de Jesus e para as pessoas buscarem conhecimento também. Então, que estejamos aproveitando bem esta grande oportunidade, pois Deus conta muito conosco.

Em Cristo,

Claudia Paiva (Claudia Sunshine)
http://blogdosultimos.blogspot.com

Gisele disse...

Olá, Paz do Senhor.

Obrigada pela visita, e também pelo comentário, sejam sempre bem vindos!!

E, parabéns por esta postagem, foi uma palavra muito abençoada, falou muito ao meu coração hoje!!

Que Deus continue abençoando vocês sempre!!

Grande abraço, Gisele.


http://gimulek.blogspot.com/

Anônimo disse...

Essa palavra veio no momento exato em que mais precisava dela.
Que Deus continue usando vocês!!

Paz!

Douglas Flores disse...

A Paz! Realmente você tem sido instrumento de Deus, sim, para abençoar vidas. É verdadeiramente maravilhoso.

Você também será muito bem-vindo para seguir e visitar meu blog, participe.

www.odeuscontemporaneo.blogspot.com

Grande abraço, fique com Deus. Espero você lá!