"NOSSA VISÃO: CONHECER A CRISTO CRUCIIFICADO E TORNÁ-LO CONHECIDO, EM TODO LUGAR, POR MEIO DA GRAÇA."

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

CRESCENDO À MATURIDADE III - GRAÇA MARAVILHOSA

Porque todos nós temos recebido da sua plenitude e graça sobre graça. João 1:16.
O que é graça? Graça é “Deus dando e fazendo tudo a quem nada merece e nem tem condições de merecer”. Graça é amor que ultrapassa todos os limites de amor. Graça não é algo que se deve ao pecador, mas é algo que ele recebe. O conceito mais difícil de ser compreendido é o da graça. Phillip Yancey disse que graça significa que “não há nada que possamos fazer para Deus nos amar mais. E graça significa que não há nada que possamos fazer para Deus nos amar menos”. A graça significa que Deus já nos ama tanto quanto é possível um Deus infinito nos amar. O amor com que Deus nos ama é gracioso e eterno. Jeremias 31:3 De longe se me deixou ver o SENHOR, dizendo: Com amor eterno eu te amei; por isso, com benignidade te atraí.
Se a graça de Deus não fosse maravilhosa nós estaríamos perdidos. Quando Deus sondou a raça humana Ele concluiu que não poderia esperar a nossa cooperação para que fossemos reconciliados com Ele. Nossa ruína impregnou todo o nosso ser: nossa mente está corrompida pelo pecado, nossa alma está maculada e nossa vontade está paralisada. Não importa se somos boas pessoas ou não; sem a vida de Cristo em nós, estamos em uma grande encrenca. Sem a graça de Deus, estamos longe Dele, e não podemos responder a Ele. A vivificação miraculosa de um regenerado antecede qualquer movimento de sua parte. Lembram-se da filha de Jairo? O que Jesus disse a ela? “Menina! Levanta”. Marcos 5:41-42 Tomando-a pela mão, disse: Talitá cumi!, que quer dizer: Menina, eu te mando, levanta-te! Imediatamente, a menina se levantou e pôs-se a andar; pois tinha doze anos. Então, ficaram todos sobremaneira admirados.
Foi o que Jesus disse à finada filha de Jairo que a levantou da morte. A palavra graciosa de Jesus primeiro deu vida à jovem e depois causou a ação de levantar-se. Defunto não pode se levantar. A menina foi vivificada ou ressuscitada antes de reagir à ordem de Jesus. A vocação celestial é primeiramente uma regeneração monergística, isto é, um trabalho único de Deus. Ninguém pode se gerar. Também ninguém pode se regenerar. Pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente. 1 Pedro 1:23.
Foi Deus quem graciosamente nos buscou em Cristo Jesus. Se Deus não nos vivificar primeiro e não inclinar o nosso coração para Ele, jamais O buscaremos. O homem não se converte porque deseja, mas deseja converter-se porque Deus em sua graça o alcançou primeiro. Se Ele não vivificar, ou seja, nos dar vida, não podemos invocar o Seu nome verdadeiramente. E assim não nos apartaremos de ti; vivifica-nos, e invocaremos o teu nome. Salmos 80:18.
Para salvar o mundo, Jesus teve que vir como um homem do mundo. A graça está relacionada por completo com o pecado da raça humana. Se há pecado, tem que haver graça para a salvação. As trevas só podem ser dissipadas pela luz e o pecado só pode ser vencido pela graça. As Escrituras mostra que só a graça pode neutralizar a força do pecado. Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça. Romanos 5:20.
A graça não escolhe os melhores, ou os mais bonitos, como num concurso de misses ou modelos, mas os piores dentre os piores. A graça é assunto para marginais e escórias da sociedade. Ao falarmos de hospital lembramo-nos dos doentes e feridos. Ao falarmos do Evangelho da graça recordamo-nos dos excluídos, inconvenientes e vergonhosos. Falamos das prostitutas que Jesus acolheu e dos desprezíveis pecadores que comeram com Ele. Falamos dos leprosos tocados com suas mãos limpas e de todos os segregados estupidamente confinados ao isolamento. A graça é um assunto inconcebível para um mundo de talentos e reputação. Foi pela graça que Deus nos aceitou em Cristo, crucificando juntamente com Ele o nosso homem velho e nos ressuscitando juntamente com Ele, para vivermos com a vida de Cristo. Gálatas 2:20a.-21 Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim. Não anulo a graça de Deus; pois, se a justiça é mediante a lei, segue-se que morreu Cristo em vão.
A graça de Deus não encontra homens aptos para a salvação, mas torna-os aptos a recebê-la. A graça elege os piores e os aprova completamente mediante a suficiência de Cristo. Pela graça somos regenerados independentemente de qualquer esforço humano. A graça nos recebe através do sacrifício de Cristo e nos admite inteiros em seu corpo, que é a Igreja, como santos, inculpáveis e irrepreensíveis. A graça nos capacita a crer no Evangelho e nos arrepender de nós mesmos. Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não vem de obras, para que ninguém se glorie. Efésios 2:8-9.
A graça significa que Deus dá o primeiro passo em nossa direção. Mas o nosso pequeno passo é só uma resposta ao que Deus já realizou. A graça é maravilhosa porque Deus na Pessoa de Cristo desce a escada que tentamos subir, nos carrega para cima e nos leva por todo o caminho até sua presença. Se o plano de resgate de Deus tivesse incluído nossos esforços, a importância da graça seria diminuída, e a salvação não seria uma obra de Deus em sua totalidade.  E, se é pela graça, já não é pelas obras; do contrário, a graça já não é graça. Romanos 11:6.
A fim de limpar o campo para sua atuação, Deus eliminou toda e qualquer obra humana. A atuação de Deus teria de ser pura, não sendo contaminada por nossos melhores esforços. Nosso esforço próprio foi posto em uma estante denominada “imprópria para uso”. É por isso que só os indignos da misericórdia podem ser feitos dignos da graça de Deus. Como dizia Thomas Watson: “Estão mais bem preparados para as maiores misericórdias àqueles que se consideram indignos das menores”. A graça significa que não merecemos nada e que não podemos fazer nada. Deus avança e realiza o que não podemos. Portanto, não recebemos em vão a graça de Deus. 2 Coríntios 6:1-2.  E nós, na qualidade de cooperadores com ele, também vos exortamos a que não recebais em vão a graça de Deus, porque ele diz: Eu te ouvi no tempo da oportunidade e te socorri no dia da salvação; eis, agora, o tempo sobremodo oportuno, eis, agora, o dia da salvação.
Quando você vem a Cristo, não é para dar o melhor de si, é sempre para receber. Não vem para ser apenas ajudado, mas para ser resgatado. Não vem para ser melhorado (embora isso ocorra), você vem para ser ressuscitado. Você não vem a Cristo para fazer uma promessa; você vem para depender da promessa de Cristo. É a fidelidade de Deus e não a nossa, que concede o dom da graça. Nós fazemos as obras, mas Deus opera em nós a realização das obras. Quando Deus chama alguém Ele envia, quando envia, Ele o capacita, quando o capacita, Ele mesmo realiza a obra através deste instrumento que Ele sustenta. Não que, por nós mesmos, sejamos capazes de pensar alguma coisa, como se partisse de nós; pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus. 2 Coríntios 3:5.

A não ser que sejamos salvos pela graça, não podemos absolutamente ser salvos. Tudo no evangelho de Jesus Cristo tem que ser inflexivelmente gracioso e gratuito. Curai enfermos, ressuscitai mortos, purificai leprosos, expeli demônios; de graça recebestes, de graça dai. Mateus 10:8. Amém.

Ouça os estudos em áudio no YOUTUBE: 


Um comentário:

Reginaldo Guiçardi disse...

Amados em Cristo graça e paz!
Estou em estado de graça por ter lido de graça no texto sobre a graça e concluir que a GRAÇA " É DEUS AGINDO DE FORMA MARAVILHOSA OU MILAGROSA,GRATUITAMENTE NA VIDA DO DESGRAÇADO PECADOR QUE NÃO TEM CONDIÇÕES NENHUMA DE FAZER NADA PARA SER DIGNO DA GRAÇA DE DEUS A NÃO SER RECONHECER-SE UM MISERÁVEL PECADOR E QUE CARECE DA GRAÇA DE DEUS QUE É DE GRAÇA!"
Essa é a maneira com que Deus demonstra o seu amor, tomando atitude de Deus na vida do homem caído, tomando-o pela mão e levantando-o, retirando-o de um tremedal de lama e transportando-o para a luz maravilhosa do Filho do seu amor.