"NOSSA VISÃO: CONHECER A CRISTO CRUCIIFICADO E TORNÁ-LO CONHECIDO, EM TODO LUGAR, POR MEIO DA GRAÇA."

domingo, 27 de março de 2011

TIPOS DE CORAÇÃO

E de muitas coisas lhes falou por parábolas e dizia: Eis que o semeador saiu a semear. Mateus 13:3. Por que nosso Senhor ensinava por parábolas? Simplesmente porque Israel rejeitava o seu Rei e recusava o reino que Ele oferecia. Após a rejeição, Jesus mudou a sua maneira de ensinar o povo. Agora Jesus passou a ensinar por parábolas as histórias do dia-a-dia que ilustravam realidades espirituais. Em vez de proclamar a sua mensagem abertamente, Ele passou a obscurecer a verdade para aqueles que já haviam rejeitado. Os cristãos genuínos, sedentos por compreender, acharam-No ávido por explicar cada detalhe. Os que odiavam a verdade nem se preocuparam em fazer perguntas. E sem parábolas não lhes falava; tudo, porém, explicava em particular aos seus próprios discípulos. Marcos 4:34. O Senhor Jesus usou as parábolas porque a agricultura era o próprio centro da vida judaica e todos entendiam de semeadura e do cultivo de espigas. Eu creio que é mesmo possível que, de onde Jesus ensinava, as multidões pudessem enxergar homens semeando. O semeador colocava uma sacola com sementes no ombro, e, à medida que ia e vinha pelos sulcos, tomava punhados de sementes e as lançava ao chão. A semente caia em quatro tipos de solo. E com a ajuda do Espírito do Senhor, vamos analisar os tipos de solo, ou seja, tipos de coração. A semente é a Palavra de Deus. Este é o sentido da parábola: a semente é a palavra de Deus. Lucas 8:11. Aparentemente a parábola do semeador é simples. A única indicação de que ela tem um significado mais profundo é a exortação de Jesus em Mateus 13:9 Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. Quem pode compreender está mensagem? Somente aqueles que têm ao Rei como seu instrutor. Os discípulos devem ter concluído que esta simples parábola sobre plantar e colher escondia alguma rica verdade espiritual, por isso eles perguntaram ao Senhor. Marcos 4:10 Quando Jesus ficou só, os que estavam junto dele com os doze o interrogaram a respeito das parábolas. Irmãos, prestem bem atenção na ligação entre “quem tem ouvidos para ouvir, ouça”, e o que vem a seguir, em Mateus 13:16 Bem-aventurados, porém, os vossos olhos, porque vêem; e os vossos ouvidos, porque ouvem. O que ouviam era a verdade gloriosa, vinda dos lábios do Mestre. Leiamos Mateus 13:17-18 Pois em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não viram; e ouvir o que ouvis e não ouviram. Atendei vós, pois, à parábola do semeador. A sós com os discípulos e outros crentes inquiridores, o Senhor tomou aquilo que parecia uma parábola singela e óbvia, usando-a para descortinar a realidade magnificente do Reino. A semente de que falara não era literal, mas, sim, o evangelho do Reino. A questão principal, nesta parábola, não é que haja alguma falha no semeador ou em seu método, e nem na semente. E também nada há de fundamentalmente errado com a composição do solo. O problema é a condição do solo, ou seja, do coração. O solo ilustra o coração humano. A todos os que ouvem a palavra do reino e não a compreendem, vem o maligno e arrebata o que lhes foi semeado no coração. Mateus 13:19a. O coração do ouvinte é o equivalente espiritual à terra que recebe a semente da mão do agricultor. Por isso a reação de uma pessoa ao evangelho depende basicamente do preparo que recebeu o seu coração. Um coração que não foi preparado de forma correta nunca produzirá fruto espiritual. O solo da beira do caminho ilustra o coração embrutecido, insensível. Aquela semente que foi semeado a beira do caminho é de “dura cerviz”. É insensível, apático, distante, indiferente, negligente, e até hostil. Não quer saber do evangelho. A mensagem bate nele e volta. Satanás é como as aves que espreitam o solo endurecido, pronto a arrebatar a semente no momento em que esta cai ao chão. A que caiu à beira do caminho são os que a ouviram; vem, a seguir, o diabo e arrebata-lhes do coração a palavra, para não suceder que, crendo, sejam salvos. Lucas 8:12. O solo seco e duro da beira do caminho não significa necessariamente alguém que é anti-cristã. Alguns dos indivíduos mais embrutecidos deste mundo escondem-se sob o manto da religião verdadeira. Mas, porque o pecado de tal modo endureceu os seus corações, eles são completamente improdutivos e indiferentes para com Deus. Estando bem próximos da Verdade, próximos do bom solo, eles geralmente recebem punhados e mais punhados de sementes, mas estas não brotam em seus corações. São pessoas que tem o coração raso, ou seja, superficial. Leiamos em Mateus 13:20-21 O que foi semeado em solo rochoso, esse é o que ouve a palavra e a recebe logo, com alegria; mas não tem raiz em si mesmo, sendo, antes, de pouca duração; em lhe chegando a angústia ou a perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza.

Esse tipo de coração é entusiasta, porém superficial. Existe uma reação positiva, mas que não é fé salvadora. Não há meditação, não se avalia o custo. Trata-se de um entusiasmo rápido, eufórico, emocional, instantâneo, mas sem a menor compreensão do verdadeiro significado do discipulado. Isto não é fé genuína. Por quê? Porque geralmente se apresenta o evangelho com a promessa de alegria, calor, comunhão e bem-estar, sem a dura exigência de se tomar a cruz pessoal e seguir a Cristo. Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Mateus 16:24b. É por isso que esses “convertidos” de coração raso, não são confrontados com as questões realmente vitais, que são o pecado e o arrependimento. Em vez disso, são encorajados a entrar no “clube” de Jesus para gozar as coisas boas que se lhe prometem. Mas, por baixo dessa superfície rasa e aparentemente fértil, existe um leito rochoso e impermeável de rebelião e resistência à Palavra de Deus. Não há verdadeiro arrependimento, nem contrição. A camada de rebelião que se esconde debaixo da superfície macia é na verdade mais dura do que o solo à beira do caminho. E as conseqüências eternas são igualmente trágicas. O entusiasmo inicial é mera emoção; a semente em germinação logo morre. Essas pessoas não são realmente salvas. Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos. 1 João 2:19. Vamos para outro tipo de solo. O solo praguejado representa o coração ocupado com as coisas do mundo. O que foi semeado entre os espinhos é o que ouve a palavra, porém os cuidados do mundo e a fascinação das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera. Mateus 13:22. Esta é a descrição perfeita do homem mundano, de quem vive para as coisas deste mundo. Tal pessoa é consumida pelos cuidados deste século. Seu principal objetivo é uma carreira, uma casa, um “hobby” ou roupas. Para ela, prestígio, aparência e riquezas são tudo na vida. Por algum tempo, se parecem exatamente com os demais crentes. Vêm à igreja, identificam-se com o povo de Deus, mostram até mesmo sinais de crescimento. A semente que germinou com tão boa aparência por fim torna-se sufocada pelos espinhos do mundanismo, e por fim o coração praguejado não dará qualquer impressão de que a boa semente foi nele semeada. O que acontece quando a semente que parecia tão promissora é sufocada? Tal pessoa terá perdido a sua salvação? Não, pois nunca foi salva. A pessoa do coração praguejado nunca foi salva. Tais corações podem ter o desejo de receber a Cristo como Salvador, mas não o farão se isso significar eles terem de abandonar o mundo. Isso não é salvação. Jesus disse em Mateus 6:24 Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas. E o apóstolo João escreveu: Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; 1 João 2:15. O solo tem de estar limpo de espinhos e pragas se é que deve haver colheita. Mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve a palavra e a compreende; este frutifica e produz a cem, a sessenta e a trinta por um. Mateus 13:23. Amém!

Deus te abençoe em Seu Filho Jesus.

2 comentários:

Vanessa Azevedo disse...

Obrigado pela visita no meu blog, Deus abençoe vcs fiquei feliz mesmo tb estou seguindo o seu blog , agora sempre vou estar sabendo ujm pouco mais da palavra de Deus. A palavra do semeador realmente é profunda, que Deus nos ajude a sermos a terra boa! Fiquem com Deus

BLOGDEQUEMPENSA disse...

Já estou seguindo o seu blog também... muito abrigado pela visita e volte sempre que quiser.
Caso queira assistir vídeos semelhantes é só ir no lbog novamente, lá em baixo, você vai poder assistir a todos os outro vídeos.
Onde fica Rio Preto? Gostaria de saber... rsrs

Um forte abraço.

Jeferson Midon

blogdequempensa.blogspot.com